sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Haja dinheiro!

Até que o executivo não aprender a gastar orçamento nenhum vai aguentar!

PREFEITURA MUNICIPAL DE ANALÂNDIA
Retificação de Extrato de Contrato
Contratante: Município da Estância Climática de Analândia.
Contratada: Rodolfo Vechin de Macedo. Contrato: 28/2014.
Data da Contratação: 22/08/2014. Prazo: até 31/12/2014, com
possibilidade de prorrogação. Objeto: contratação de empresa
para prestação de serviços de publicidade oficial dos atos da
administração em órgão de imprensa escrita através de empresa
jornalística ou agência de publicidade, com fornecimento de
materiais, mão de obra e equipamentos necessários. Valor Glo-
bal Estimado: R$ 29.090,00. Licitação: Convite 19/2014. Analân-
dia/SP, 16/10/2014. Adriana Batista Alves – Setor de Licitações.
PREFEITURA DO MUNICÍPIO DA ESTÂNCIA CLIMÁTICA DE
ANALÂNDIA
Avenida 04, 381, Centro, Analândia/SP, CEP: 13.550-000.
Telefone (0xx19) 3566-1220, CNPJ: 44.659.076/0001-07
 a

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Prefeito anuncia o tão esperado e demorado aumento salarial para os professores!

Nota publicada na rede social do prefeito:

Olá meus amigos!Quero saudar a todos os professores pelo seu dia.Eu tenho muito orgulho de ser filho de uma professora que lecionou por 30 anos numa escola estadual e de ser neto dos meus avós,que foram serventes numa escola pública ,em Guaratingueta.Sei da importância de vocês para a sociedade e por isso estamos lutando para criar condições de trabalho,tanto em estrutura quanto remuneração. No dia do professor,estamos anunciando uma grande conquista:visando valorizar o profissional e repor perdas salariais,dentro das nossas possibilidades,estou enviando hoje à Câmara Municipal,projeto que aumenta 50%do valor da hora/aula dos professores da rede municipal!Gostaria de estar ampliando esse aumento à todos os funcionários,mas infelizmente,devido à queda da arrecadação com a extinção das taxas sem a compensação que pretendíamos(40%de queda),a dívidas enormes que teremos que pagar até o final do ano e à queda do FPM,devido ao desaquecimento da economia brasileira,não teremos possibilidade de aumento nesse ano.A verba que utilizaremos para aumentar o valor da hora/aula,é específica e só pode ser usada na Educação.Reitero meu compromisso de minimizar as perdas salariais,das quais todos os nossos funcionários foram vítimas durante tanto tempo.Para isso precisamos melhorar nossa arrecadação,cobrando firme quem está devendo e atraindo recursos e investimentos para nossa cidade.Tudo isso está sendo feito e por isso,estou convicto de que 2015 será um ano ainda muito melhor pra Analandia!Quero mais uma vez parabenizar os nossos queridos professores e agradece los pela resignação e devoção à esse sacerdócio,que é a educação de nossas crianças. Mesmo ganhando pouco,vocês se dedicaram com amor e tenacidade as nossas crianças e melhoraram o IDEB de Analandia . Parabéns e que Deus os abençoe.


O blog Unidos vem acompanhando esse empasse desde o começo do mandato do prefeito. Não sabemos mais quantas vezes esse plano já foi encaminhado para  Câmara Municipal, mas esperamos que dessa vez, entre em votação e seja aprovado, para que em 2015 o salário dos professores municipais receba o tão sonhado reajuste!

Aos nossos queridos professores um grande abraço e felicidades!


sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Crimes de responsabilidades: Processo Criminal!

Criminal
1ª Vara
JUÍZO DE DIREITO DA 1ª VARA
JUIZ(A) DE DIREITO FELIPPE ROSA PEREIRA
ESCRIVÃ(O) JUDICIAL PAULO ROBERTO MAZZEO
EDITAL DE INTIMAÇÃO DE ADVOGADOS

Disponibilização: sexta-feira, 10 de outubro de 2014 Diário da Justiça Eletrônico - Caderno Judicial - 1ª Instância - Interior - Parte III São Paulo, Ano VIII - Edição 1752 298


Processo 0005483-50.2014.8.26.0283 - Ação Penal - Procedimento Ordinário - Crimes de Responsabilidade - J.R.P. - - L.M.C. 
- - S.F.Z. e outros - Segue o presente feito o rito estabelecido pelo Decreto-Lei nº 201/1967, que dispõe sobre a responsabilidade 
dos prefeitos e vereadores, sendo o recebimento da denúncia posterior à defesa prévia (art. 2º, I e II). Não estando mais o réu
José Roberto Perin representado pelo Dr. Victor Roncatto Piovezan (fls. 1034/1036), risque-se da capa e retire-se do sistema 
informatizado o nome do defensor. Notifique-se pessoalmente o réu José Roberto Perin para apresentar defesa prévia, no prazo 
de cinco dias, nos termos do art. 2º, inciso I, do Decreto-Lei nº 201/1967. No mais, aguarde-se a apresentação das defesas 
prévias das co-rés (Lídia Maria Coelho e Santra Fontoura Zalla), verificando a serventia se já foram intimadas para tal finalidade. 
Int. - ADV: LIDIA MARIA COELHO, VICTOR RONCATTO PIOVEZAN (OAB 242595/SP), DIEGO CONCEIÇÃO DOS SANTOS 
(OAB 348173/SP)

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Publicações Diário Oficial Analândia:

ANALÂNDIA
PREFEITURA MUNICIPAL DE ANALÂNDIA
Extrato de Contrato
Contratante: Prefeitura do Município da Estância Climática
de Analândia. Contratada: MAN LATIN AMERICA INDÚSTRIA
E COMÉRCIO DE VEÍCULOS LTDA. Contrato: 31/2014. Data da
Contratação: 15/09/2014. Prazo: até 12 (doze) meses contados
da assinatura do contrato, com possibilidade de prorrogação.
Objeto aquisição de veículos de transporte escolar diário de
estudantes da educação básica das redes públicas de ensino e
demais entidades autorizadas, de acordo com a legislação específica
vigente, na União, Estados, Distrito Federal e Municípios
para atender ao Programa Caminho da Escola do Ministério da
Educação. Valor global R$ 489.000,00. Licitação: modalidade
Pregão Eletrônico nº 63/2013, para Registro de Preços. Analândia/ SP, 15/09/2014. Adriana Batista Alves – Setor de Licitações.
 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DA ESTÂNCIA CLIMÁTICA DE
ANALÂNDIA
Avenida 04, 381, Centro, Analândia/SP, CEP: 13.550-000.
Telefone (0xx19) 3566-1220, CNPJ: 44.659.076/0001-07.
Extrato de Contrato
Contratante: Prefeitura do Município da Estância Climática
de Analândia. Contratada: Inovação Computação Móvel Ltda.
Contrato: 32/2014. Data da Contratação: 06/10/2014. Prazo: até
31/12/2015, com possibilidade de prorrogação. Objeto: cessão
de direito de uso do programa aplicativo. Valor Global Estimado
para 2014: R$ 1.169,43. Valor Global Estimado para 2015: R$
4.677,72. Licitação: Dispensada, inciso II, artigo 24, da Lei Federal
8.666/93 e posteriores alterações. Analândia/SP, 06/10/2014.
Adriana Batista Alves – Setor de Licitações.

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

ELEIÇÕES 2014!!!



A cada dia que passa Analândia mostra onde está sua força!!!
A comparação abaixo foi feita com os dados atuais de eleitores.
Mais uma vez mostramos que NÃO vamos permitir mais eleitores fantasmas!!!
A cidade é SIM da população Analandense!!! 
E em 2016 teremos uma eleição ainda mais limpa!!
Parabéns povo de Analândia que deixou de apoiar os mesmo e passou a votar em quem realmente investe em nossa cidade!!! 



2010
%
2014
%
Aldo Demarchi
1186
25,35
639
18,25
Antonio Mentor
7
0,15
41
1,17
Baleia Rossi
33
0,71
354
10,11
Bruno Covas
6
0,13
193
5,51
Chico Sardelli
29
0,62
119
3,40
Itamar Borges
5
0,11
128
3,66
Lobbe Neto
1235
26,40
599
17,10
Maria do Carmo
83
1,77
326
9,31
Newton Lima
346
7,40
97
2,77
William Woo
74
1,58
67
1,91

*Os candidatos em destaque apresentaram mudanças em relação a esfera política. Em 2010, ambos eram candidatos a Deputado Estadual e em 2014, saíram candidatos a Deputado Federal, podendo esses valores não serem proporcionais se considerada as esferas.


2010
2014
Diferença
Habitantes
4401
4672
271
Eleitorado
4678
3502
1176
Abstenções (%)
26,04
15,16
10,88

*O destaque no eleitorado representa a possível redução do eleitorado fantasma da cidade. Eleitores com título suspenso, cancelado ou que não fizeram o recadastramento.

E tem ex-prefeito comemorando dizendo que ainda manda na cidade!!! 
O povo não é tolo!! O povo acordou e não vai dormir mais!!!
Chega da mesmice!!! 
Agora queremos ver a aplicação dos recursos, que também está deixando muito a desejar!!
Sr. Prefeito Rogério Ulson, quando o dinheiro recebido será bem empregado? O povo quer saber!!!
Até o  momento vemos fotos em eventos para pedir verba mas a cidade continua na mesma.
Daqui 2 anos teremos novas eleições municipais e até o momento nenhuma de suas promessas de campanha foram cumpridas.
Queremos mais ação!!! De nada adianta eleger candidatos que trazem muito dinheiro para a cidade se esse dinheiro fica perdido, sem aplicação de acordo com as necessidades do povo.
Vamos ver se o povo vai manter ficar entre o nada ou um novo candidato!!!
A mudança que o povo vem pedindo vem conquistando, por isso é hora de trabalhar para a cidade!!!
Ou vai ser mais um que terá o seu eleitorado reduzido!!!

Abaixo links para lembrar a luta contra os votos fantasmas!!!









sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Ex prefeito de Analândia é condenado pela Justiça!

Disponibilização: sexta-feira, 5 de setembro de 2014 Diário da Justiça Eletrônico - Caderno Judicial - 1ª Instância - Interior - Parte III São Paulo, Ano VII - Edição 1727 374

Processo 0006768-20.2010.8.26.0283 (283.01.2010.006768) - Procedimento Sumário - Anulação - Ministerio Publico do 
Estado de Sao Paulo - Jose Roberto Perin - - Minicipio de Analandia - Ante o exposto, JULGO PROCEDENTE EM PARTE O 
PEDIDO, com resolução do mérito, nos termos do art. 269, I, do Código de Processo Civil, para: A) ANULAR as nomeações de 
todos os servidores indicados às fls. 6/7, com exceção daqueles que ocupam os cargos de Coordenadores de Educação. Os 
servidores que, nesta data, ainda ocupem os cargos abrangidos por esta sentença deverão ser exonerados no prazo de 60 dias 
contados do trânsito em julgado; B) CONDENAR JOSÉ ROBERTO PERIN, nos termos do art. 10, X da Lei n° 8.429/92, por ato de improbidade administrativa que causou prejuízo ao erário. Por consequência, imponho-lhe a suspensão dos seus direitos políticos por 6 (seis) anos, condenando-o, ainda, a ressarcir integralmente os prejuízos causados ao erário, com correção monetária pelos índices do TJ/SP desde cada pagamento e com juros de mora de 1% ao mês desde a citação, na forma da fundamentação. Por fim, condeno o réu a arcar, também, com as custas processuais. P.R.I. (CUSTAS DE PREPARO:- R$ 100,70 - PORTE/REMESSA:- R$ 359,70) - ADV: LIDIA MARIA COELHO, VICTOR RONCATTO PIOVEZAN (OAB 242595/SP)

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Mais uma nota da Secretaria Municipal de Educação!

 ALIMENTAÇÃO ESCOLAR 

Conforme a Lei n. 11.947/2009, têm direito a alimentação 
escolar os alunos matriculados na educação básica pública 
oferecida em creches e pré-escolas, no ensino fundamental e 
médio e em estabelecimentos mantidos pela União, e ainda 
das escolas indígenas e quilombolas.


Portanto é vedada aos professores, merendeiras e
funcionários das escolas a alimentação escolar.

FONTE: http://www.rebrae.com.br/FAQMasterFlex/FAQMasterFlex/faq.php?answer=47&cat_name=Legisla%E7%E3o+PNAE&category_id=15

Entretanto, a Prefeitura Municipal de Analândia, em sua contrapartida, continua disponibilizando aos professores e demais funcionários, café, leite, chá, pão, manteiga, frios, frutas e sucos. Portanto, em hipótese alguma, estamos privando nossos funcionários de se alimentarem nas unidades escolares onde trabalham.


O que se pretende com isso?
Temos carteiras que não podemos usar!
Comida sendo jogada fora que os professores não podem comer!
Não falta mais nada.
A falta de gestão é tanta que chega a nos assustar!
É uma humilhação com a classe dos profissionais da educação, um descaso.

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Como vai a Nossa Terra?

O que será que aconteceu com a rádio Comunitária, por que se calou?

Quando tudo fica muito quieto é um mau sinal! Vamos acordar povo de Analândia, se o gato não cuida da casa os ratos sobem na mesa.
A foto acima é da inauguração da rádio, estavam presentes o prefeito,vereadores, teve muita conversa e em pouco tempo se acabou, por que? Quais interesses estão por trás deste silêncio?  Vamos falar e sair de cima do muro gente! Analândia precisa ficar atenta e cuidar do futuro.

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Diário Oficial! A coisa vai complicando!

Disponibilização: sexta-feira, 8 de agosto de 2014 Diário da Justiça Eletrônico - Caderno Judicial - 1ª Instância - Interior - Parte III São Paulo, Ano VII - Edição 1707 355


Processo 0001568-27.2013.8.26.0283 (028.32.0130.001568) - Ação Civil Pública - Improbidade Administrativa - Ministério Público do Estado de São Paulo - José Roberto Perin - - Sandra Marta Perin Carvalho - - Silvana Márcia Perin Campbell Pena 
- Vistos. Compulsando os autos, noto que a sentença não é omissa, eis que abordou adequadamente os argumentos trazidos pelas partes, expondo a contento os motivos que levaram à formação da convicção pelo julgador. No mais, relembro que de acordo com a já consolidada jurisprudência, “o Juiz não está obrigado a responder todas as alegações das partes, quando já tenha encontrado motivo suficiente para fundar a decisão, nem se obriga a ater-se aos fundamentos indicados por elas e tampouco a responder um a um todos os seus argumentos” (Origem: TJ/SP; Processo: 907877163.2005.8.26.0000; Relator: Wagner Roby Gidaro; Órgão julgador: 16ª Câmara de Direito Privado). Na verdade, a irresignação do embargante possui caráter evidentemente infringente, devendo ser manifestada pelo recurso cabível. Ante o exposto, conheço dos tempestivos embargos de declaração, mas nego-lhes provimento. - ADV: VICTOR RONCATTO PIOVEZAN (OAB 242595/SP)



Processo:
0001568-27.2013.8.26.0283 (028.32.0130.001568)
Classe:
Ação Civil Pública
Área: Cível
Assunto:
Improbidade Administrativa
Local Físico:
06/08/2014 00:00 - Aguardando Publicação
Distribuição:
Livre - 07/03/2013 às 11:57
1ª Vara - Foro Distrital de Itirapina
Juiz:
Felippe Rosa Pereira
Outros números:
0001568-27.2013.8.26.0283
Valor da ação:
R$ 20.000,00
Exibindo Somente as principais partes.   >>Exibir todas as partes.
Partes do Processo
Reqte: Ministério Público do Estado de São Paulo
Reqdo: José Roberto Perin
Advogado: Victor Roncatto Piovezan 
Testemunha: Adriana Batista Alves de Lima
Testemunha/A: Anton Graber Junior
Testemunha: Eliana Aparecida Peixe Gregoracci
Testemunha: LUCIMARI DE FATIMA ANDRADE
Testemunha: Lidia Maria Coelho
Exibindo 5 últimas.   >>Listar todas as movimentações.
Movimentações
Data Movimento
07/08/2014Remetido ao DJE
Relação: 0229/2014 Teor do ato: Vistos. Compulsando os autos, noto que a sentença não é omissa, eis que abordou adequadamente os argumentos trazidos pelas partes, expondo a contento os motivos que levaram à formação da convicção pelo julgador. No mais, relembro que de acordo com a já consolidada jurisprudência, "o Juiz não está obrigado a responder todas as alegações das partes, quando já tenha encontrado motivo suficiente para fundar a decisão, nem se obriga a ater-se aos fundamentos indicados por elas e tampouco a responder um a um todos os seus argumentos" (Origem: TJ/SP; Processo: 9078771-63.2005.8.26.0000; Relator: Wagner Roby Gidaro; Órgão julgador: 16ª Câmara de Direito Privado). Na verdade, a irresignação do embargante possui caráter evidentemente infringente, devendo ser manifestada pelo recurso cabível. Ante o exposto, conheço dos tempestivos embargos de declaração, mas nego-lhes provimento. Advogados(s): Victor Roncatto Piovezan (OAB 242595/SP)
06/08/2014Decisão Proferida 
Vistos. Compulsando os autos, noto que a sentença não é omissa, eis que abordou adequadamente os argumentos trazidos pelas partes, expondo a contento os motivos que levaram à formação da convicção pelo julgador. No mais, relembro que de acordo com a já consolidada jurisprudência, "o Juiz não está obrigado a responder todas as alegações das partes, quando já tenha encontrado motivo suficiente para fundar a decisão, nem se obriga a ater-se aos fundamentos indicados por elas e tampouco a responder um a um todos os seus argumentos" (Origem: TJ/SP; Processo: 9078771-63.2005.8.26.0000; Relator: Wagner Roby Gidaro; Órgão julgador: 16ª Câmara de Direito Privado). Na verdade, a irresignação do embargante possui caráter evidentemente infringente, devendo ser manifestada pelo recurso cabível. Ante o exposto, conheço dos tempestivos embargos de declaração, mas nego-lhes provimento.
31/07/2014Conclusos para Despacho
31/07/2014Embargos de Declaração Juntados
Juntada a petição diversa - Tipo: Embargos de Declaração em Ação Civil Pública - Número: 80018 - Protocolo: FRCO14000455449
10/07/2014Certidão de Publicação Expedida
Relação :0192/2014 Data da Disponibilização: 10/07/2014 Data da Publicação: 11/07/2014 Número do Diário: 1686 Página: 296/299
Incidentes, ações incidentais, recursos e execuções de sentenças
Não há incidentes, ações incidentais, recursos ou execuções de sentenças vinculados a este processo.
Petições diversas
DataTipo
14/05/2013Documentos Diversos 
23/10/2013Petições Diversas
pelo autor
01/11/2013Petições Diversas 
01/11/2013Petições Diversas 
01/11/2013Petições Diversas 
03/12/2013Petições Diversas
recolhimento de diligências do oficial de justiça, para intimação de testemunhas - pelo Requerido
17/12/2013Petições Diversas 
07/01/2014Ofício
PELA TESTEMUNHA
11/02/2014Petições Diversas 
12/02/2014Petições Diversas
pelos requeridos
17/02/2014Carta Precatória
devolvida - cumprida negativa
10/03/2014Carta Precatória
devolvida da Comarca de Leme-SP - sem cumprimento
14/03/2014Agravo Retido 
13/05/2014Petições Diversas 
16/05/2014Carta Precatória
inquiriação testemunha: Paulo Ricardo Monti Pinheiro (cumprida negativa)
16/05/2014Embargos de Declaração 
16/06/2014Alegações Finais 
16/06/2014Alegações Finais 
15/07/2014Embargos de Declaração 
Audiências
Não há Audiências futuras vinculadas a este processo.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Nota da secretaria da Educação!

O que mais querem piorar para os professores? Alimentação é o mínimo que se deve fornecer aos nossos educadores, aliás a boa educação recomenda que ao sentar-se à mesa devemos convidar os que estão presentes a se servirem.  
Outro ponto importante é que a sobra de comida nas escolas é grande, o que negam aos professores jogam aos porcos!
É uma pena assistir ao descaso com a educação Brasileira, medidas impensadas e ineficientes fazer da nossa educação um fracasso!

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Incompetência poderá custar caro!

RTOrd - Ação Trabalhista - Rito Ordinário
Nº do Protocolo:000409/2014
Orgão de Origem:VARA DO TRABALHO DE PIRASSUNUNGA
Data da Autuação:27/03/2014Valor do Objeto:R$ 217.200,00
Litigantes:

Reclamante.:

WALDECY PAIUTA
Advogado(s):Marcos Eduardo Miranda ( 306893-SP-D)

Reclamado.:

ANALANDIA PREFEITURA
Advogado(s):Renata Teresinha Serrate Camargo ( 127056-SP-D)

O recte. alegou que foi instaurado contra ele processo administrativo visando a apurar supostas irregularidades acerca da empresa que elaborou o concurso público que prestou.Disse que, por meio de tal processo administrativo, foi exonerado do emprego público, mesmo sendo estável.Requer liminarmente a concessão da antecipação de tutela para o fim de ser reintegrado ao emprego, tornando-se nulo o processo administrativo.Pelo que se vê, o autor alega ser detentor da estabilidade prevista no artigo 41 da CF/88.Ocorre que tal estabilidade, como se vê do próprio artigo 41 da Lei Maior, aplica-se aos servidores nomeados para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público. O autor não se enquadra nessa hipótese, porque não detinha cargo público, mas sim emprego público. Pondere-se que o ingresso na administração pública, direta ou indireta (nesta última, abrangendo-se autarquias, fundações, empresas públicas ou sociedades de economia mista), deve sempre ser feito através de concurso público, eis que este é um imperativo constitucional. Mas isto não quer dizer que, indiscriminadamente, a todos que se submeteram a tal concurso seja possível alcançar a estabilidade, após o prazo do estágio probatório.Isto porque somente se sujeitam ao estágio probatório, alcançando a estabilidade se no mesmo aprovados, os servidores, e por tais se entendem aqueles submetidos a regime estatutário, administrativo, ocupantes de cargos públicos. Aqueles que são contratados sob regime celetista, a rigor, não são servidores, mas sim empregados públicos, quer o sejam da administração direta, quer da indireta. E, como tais, têm o regime de garantia do tempo de serviço, FGTS, e, portanto, não alcançam a estabilidade.Estabilidade é incompatível com o regime do fundo de garantia do tempo de serviço!A estabilidade decenal, prevista na CLT para os não optantes, deixou de existir com o advento da Carta de 1.988, que somente a manteve nos casos de direito adquirido, o que não é o caso do recte.Entender que por servidores o artigo 41 quis se referir tanto a estes, quanto aos empregados, sendo a expressão ali contida um gênero, e não espécie, seria olvidar os demais termos do próprio artigo 41, que se refere a servidores ocupantes de cargo de provimento efetivo, ao passo que empregados, mesmo públicos, não ocupam cargos, sendo sim detentores de emprego público.Além do mais, a Constituição faz nítida diferença entre servidores e empregados, entre cargos, empregos e funções, distinguindo as hipóteses aplicáveis a cada caso. E, se assim é, não é lícito não distinguir e misturar conceitos onde a lei distinguiu claramente.Se o recte. tivesse sido um dia servidor público, ocupante de cargo público, nem a ele se aplicaria a Consolidação das Leis do Trabalho, nem esta Justiça seria competente para dirimir as questões oriundas de seu vínculo com a administração pública, que seria regido pelo direito administrativo.Quando a administração pública quer preencher emprego público, e não cargo, mesmo assim ela tem que se curvar à necessidade de concurso público, por imposição constitucional. Mas tal empregado jamais será estável, uma vez que não é o servidor previsto no artigo 41 da CF, não se sujeita a estágio probatório e nem ocupa cargo público.A administração, quando contrata pelo regime celetista, se despe de seu poder de império, igualando-se aos empregadores privados. E a relação jurídica entre as partes contratantes se rege pelas normas consolidadas.Ademais, o regime do fundo de garantia do tempo de serviço é incompatível com a estabilidade perseguida pelo obreiro, como já se disse.Portanto, a recda. detém o direito potestativo de resilir contratos de emprego, sem justa causa, ainda que na admissão de seus empregados tenha que se curvar à necessidade de concurso público.Assim, não havendo nos autos comprovação de que a recda. possua norma própria prevendo a seus empregados a estabilidade após aprovação em concurso público, já se conclui, de antemão, que não está preenchido o requisito da prova inequívoca da verossimilhança das alegações, prevista no artigo 273 do CPC, o que impede o deferimento da antecipação de tutela pretendida.Nada a deferir.Aguarde-se a audiência já marcada.Notifiquem-se as partes.Piraçununga, 26 de maio de 2.014. _________________________________ JOSÉ EDUARDO BUENO DE ASSUMPÇÃO Juiz Titular de Vara do Trabalho

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Nota postada no facebook pela Secretaria Municipal de Educação da Analândia!

"A semana começa com boas novidades. Há muito se fomentou a possibilidade de uma Vice-diretora integrar a nossa equipe do Fundamental II. Depois de muito ouvir a posição dos pais, professores e comunidade em geral, o nosso prefeito Rogério Ulson acolheu nossas solicitações e irá nomear a professora Eliana P. Gregoracci a Vice- diretora do Ensino Fundamental II. Temos certeza que ela juntamente com a Diretora Evandra S. M. Bernardo formarão uma bela equipe!!!"

A Secretaria Municipal de Educação, publicou hoje essa nota, mas à dias atrás o prefeito já anunciava que haveria novidades na EDUCAÇÃO, acho que o Sr prefeito se expressou de maneira errônea, podemos falar que foi uma surpresa, mas não algo novo!